Skip to main content

O CANTO DAS PALAVRAS - BECRE D. Manuel I

Conteúdo sindicado
CANTO DESTINADO ...
Actualizado: há 2 horas 47 minutos atrás

<div class="separator" style="clear:

Seg., 23/05/2016 - 10:06


Livros e leituras para os mais pequeninos
Na quarta-feira, dia 18 de maio, a turma do 1ºB veio à Biblioteca ouvir “O alfabeto trapalhão”, de Lurdes Breda. Para cada letra do abecedário, uma quadra. Foi tempo de aprender, lembrar e imaginar. E perceber a importância de juntar letras para ler…

Categorias: Bibliotecas Escolares

<div class="separator" style="clear:

Sex, 20/05/2016 - 10:09



No dia 11 de maio, pelas 14.30, os monitores Fazli Mola e Cíntia Bento, da turma 6ºA, contaram a história “O pequeno alfaiate valente”, de Grimm, aos alunos do 1ºA da EB D. Manuel I, utilizando o teatro de papel japonês “Kamishibai”. O Fazli a e Cíntia realizaram a atividade com muito à vontade e fizeram ainda alguma perguntas, no final.
Categorias: Bibliotecas Escolares

DIA DA FAMÍLIA

Dom, 15/05/2016 - 20:51


No dia 15 de Maio,  celebra-se o Dia Internacional da Família,  proclamado como tal pela Assembleia Geral das Nações Unidas, através da resolução 47/237 de 20 de setembro de 1993, para destacar a importância das famílias como unidades básicas da sociedade.O Dia Internacional da Família promove a reflexão e a discussão acerca do conceito de família nas sociedades do mundo inteiro. Este dia serve também para refletir sobre os problemas económicos, sociais e culturais que afetam as famílias, sem esquecer o problema do decréscimo demográfico que está a atingir as sociedades ocidentais.

Categorias: Bibliotecas Escolares

DIA DA EUROPA

Seg., 09/05/2016 - 10:15


O “Dia da Europa”, comemorado a 9 de maio, nasceu no Conselho Europeu de Milão, de 28 e 29 de junho de 1985 e foi celebrado pela primeira vez em 1986.No dia 9 de maio de 1950, pelas 16h00, Robert Schuman, o então ministro francês dos Negócios Estrangeiros, apresentou, no Salon de l'Horloge do Quai d'Orsay, em Paris, uma proposta com as bases fundadoras do que é hoje a União Europeia.Esta proposta, conhecida como "Declaração Schuman", baseada numa ideia originalmente lançada por Jean Monnet, trazia consigo valores de paz, solidariedade, desenvolvimento económico e social, equilíbrio ambiental e regional e incluía a criação de uma instituição europeia supranacional incumbida de gerir as matérias-primas que nessa altura constituíam a base do poderio militar: o carvão e o aço.
Por se considerar que esse dia foi o marco inicial da União Europeia, os Chefes de Estado e de Governo, na Cimeira de Milão de 1985, decidiram consagrar o dia 9 de maio como "Dia da Europa".
Categorias: Bibliotecas Escolares

<div class="separator" style="clear:

Sex, 06/05/2016 - 22:30




Categorias: Bibliotecas Escolares

<div class="separator" style="clear:

Dom, 01/05/2016 - 10:34

Quando Eu For Pequeno
Quando eu for pequeno, mãe, quero ouvir de novo a tua voz na campânula de som dos meus dias inquietos, apressados, fustigados pelo medo. Subirás comigo as ruas íngremes com a certeza dócil de que só o empedrado e o cansaço da subida me entregarão ao sossego do sono.
Quando eu for pequeno, mãe, os teus olhos voltarão a ver nem que seja o fio do destino desenhado por uma estrela cadente no cetim azul das tardes sobre a baía dos veleiros imaginados.
Quando eu for pequeno, mãe, nenhum de nós falará da morte, a não ser para confirmarmos que ela só vem quando a chamamos e que os animais fazem um círculo para sabermos de antemão que vai chegar.
Quando eu for pequeno, mãe, trarei as papoilas e os búzios para a tua mesa de tricotar encontros, e então ficaremos debaixo de um alpendre a ouvir uma banda a tocar enquanto o pai ao longe nos acena, lenço branco na mão com as iniciais bordadas, anunciando que vai voltar porque eu sou                                                        [pequeno e a orfandade até nos olhos deixa marcas.

José Jorge Letria, in "O Livro Branco da Melancolia" 






Pequeno Poema
Quando eu nasci, ficou tudo como estava.
Nem homens cortaram veias, nem o Sol escureceu, nem houve estrelas a mais... Somente, esquecida das dores, a minha Mãe sorriu e agradeceu.
Quando eu nasci, não houve nada de novo senão eu.
As nuvens não se espantaram, não enlouqueceu ninguém...
Pra que o dia fosse enorme, bastava toda a ternura que olhava nos olhos de minha Mãe...

Sebastião da Gama, in  “Antologia Poética”
Categorias: Bibliotecas Escolares

in