Skip to main content

Informação

Inquerito de satisfação  da biblioteca aqui

 

 

 

O CANTO DAS PALAVRAS - BECRE D. Manuel I

Conteúdo sindicado
CANTO DESTINADO ...
Actualizado: há 1 semana 8 horas atrás

CONTO A CONTO

Sáb, 13/12/2014 - 19:14


Hoje é dia de Natal e do Menino Jesus inda ninguém se lembrou nas palhinhas, onde o pus.
Ouro, incenso e mirra, dizem que os reis lhe vão dar. Podem ser presentes caros, mas disso não vai gostar.
Comi bacalhau e bolos, peru, pinhões e pudim, só ele não comeu nada do que me deram a mim.
Às escondidas de todos, vou pegar-lhe pela mão e sentá-lo no meu colo para ver televisão.


                   Luísa Ducla Soares  (Livro "O Sabichão")


Nos passados dias 9 e 11, os alunos da sala da Professora Paula Sol – 2º A, visitaram os Lares da Santa Casa da Misericórdia de Tavira, no âmbito do projeto Conto a Conto – contar para partilhar. Os alunos leram poemas de diversos autores, alusivos à temática do Natal e cantaram a canção “Pinheirinho, Pinheirinho” ensaiada nas aulas da atividade de enriquecimento curricular de música, sob a orientação da docente Ana Isabel Conceição.
Os alunos e os idosos gostaram muito destes momentos de partilha de leituras e de carinho entre gerações e ficou o desejo mútuo de voltar a repeti-los ao longo do ano letivo.

Categorias: Bibliotecas Escolares

Somos todos diferentes

Sáb, 13/12/2014 - 19:07


O Dia Mundial da Declaração Universal dos Direitos do Homem foi assinalado na BE da Escola da Estação com a leitura da história “Somos todos diferentes”, de Emma Damon, e pelo visionamento de um PowerPoint que apelava ao cumprimento dos Direitos Humanos. Depois de observarem as várias diferenças que podem existir entre cada um de nós e os outros  e de reforçada a ideia de que as diferenças devem ser respeitadas, os alunos do 1º C (Profª Fátima Valente) ilustraram um cartaz alusivo ao tema dos direitos humanos.
Categorias: Bibliotecas Escolares

"Ulisses"- um outro olhar

Sáb, 13/12/2014 - 16:26






Categorias: Bibliotecas Escolares

A minha família

Sex, 12/12/2014 - 18:41


    Esta história é sobre a minha família e sobre mim. A minha família está separada: uns estão em Tavira, outros no Porto, outros na Póvoa de Varzim e outros, ainda, em Washington.
    Eu vivo em Tavira com a minha mãe, que se chama Susana, o meu pai, que se chama  João Pedro e o meu tio, que se chama Miguel.
  Costumamo-nos juntar nos aniversários (em alguns), nos batizados e casamentos, no Natal e Páscoa e nas férias de verão.
     Eu adoro a minha família!
   Para mim, a minha cadela Meggie é como uma irmã, muito maluca, mas é... ela tem pelo branco e é um labrador.
   A minha prima Matilde é muito fixe, tem 10 anos e nasceu em Março, dia 4. Eu adoro-a e ela a mim! Este ano vou passar o Natal à Póvoa e ela vai lá estar (e ontem ela disse-me para eu preparar já a mala com os brinquedos). Mas como eu estava a dizer, vou lá passar o Natal e a Passagem de Ano. Eu estou ansiosa por lá estar! Mal posso esperar!


Maria Clara Rodrigues - 5ºD

Categorias: Bibliotecas Escolares

...e pergunto-me..., por Pedro Cunha

Qui, 11/12/2014 - 17:42




A Internet
A Internet rodeia-nos. Está em todo o lado, desde telemóveis, tablets, computadores, etc. Mas será que a Internet “está bem” entre nós?
A Internet é muito vantajosa para o trabalho das pessoas, para fazer pesquisas, para entreter crianças, para ouvir música, para ver notícias e filmes, comprar coisas… Mas também traz desvantagens: vicia bastante, “tira” a atividade física, provoca doenças (como a obesidade), provoca falta de convívio com a família, é cara (tanto como na compra do telemóvel, tablet ou telemóvel, como também na conta a pagar da eletricidade). Por isso, eu acho que não devíamos passar mais que duas horas por dia na Internet; se for só para ouvir música, não ficar só a olhar para o ecrã (ficar a fazer outra atividade, como desenhar, ler, escrever…).Por isso não faço ideia se a Internet é boa ou má e pergunto-me: o que estará a Internet a fazer na Terra?PEDRO CUNHA, 6ºA 
Categorias: Bibliotecas Escolares

<div class="separator" style="clear:

Qui, 11/12/2014 - 16:50


PRELÚDIO DE NATAL
Tudo principiavapela cúmplice neblinaque vinha perfumadade lenha e tangerinas
Só depois se rasgavaa primeira cortinaE dispersa e douradano palco das vitrinas
a festa começavaentre odor a resinae gosto a noz-moscadae vozes femininas
A cidade ficavasob a luz vespertinapelas montras cercadade paisagens alpinas

David Mourão-Ferreira
Categorias: Bibliotecas Escolares

<div align="center" class="MsoNormal"

Qua, 10/12/2014 - 18:58
DIA INTERNACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS

O Dia Internacional dos Direitos Humanos é celebrado anualmente a 10 de dezembro.A data visa homenagear o empenho e dedicação de todos os cidadãos defensores dos direitos humanos e pôr um fim a todos os tipos de discriminação, promovendo a igualdade entre todos os cidadãos.
Comemoração do Dia dos Direitos HumanosA celebração da data foi escolhida para honrar o dia em que a Assembleia Geral das Nações Unidas proclamou, a 10 de Dezembro de 1948, a Declaração Universal dos Direitos do Homem.Esta declaração foi assinada por 58 estados e teve como objetivo promover a paz e a preservação da humanidade após os conflitos da 2ª Guerra Mundial que vitimaram milhões de pessoas.A Declaração Universal dos Direitos do Homem enumera os direitos humanos básicos que devem assistir a todos os cidadãos.Este dia é um dos pontos altos na agenda das Nações Unidas, decorrendo várias iniciativas a nível mundial de promoção e defesa dos direitos do homem.O dia 10 de dezembro é também marcado pela entrega do Prémio Nobel da Paz.
Comemoração do Dia dos Direitos Humanos em Portugal Em Portugal, a Assembleia da República reconheceu a grande importância da Declaração Universal dos Direitos do Homem ao aprovar, em 1998, a Resolução que vigora até hoje, na qual deixou instituído que o dia 10 de dezembro deveria ser considerado o Dia Nacional dos Direitos Humanos.
Categorias: Bibliotecas Escolares

<div class="separator" style="clear:

Qua, 10/12/2014 - 11:11


A Feira do livro continua a decorrer na nossa escola...com histórias de encantar. Os alunos continuam a visitar-nos. Esperamos por ti ainda nos próximos dias.
Categorias: Bibliotecas Escolares

<div class="separator" style="clear:

Qui, 04/12/2014 - 14:54
Dupla delícia/ O livro traz a vantagem de a gente poder estar só e ao mesmo tempo acompanhada.Mário Quintana


Visita a Feira do Livrona nossa Biblioteca. Começa já no dia 9. Não faltes.

Categorias: Bibliotecas Escolares

<div class="separator" style="clear:

Qua, 03/12/2014 - 11:09




 O escritor português Valter Hugo Mãe publicou, recentemente,  o conto para os mais novos "O paraíso são os outros", observação sobre o amor e o relacionamento entre casais, do ponto de vista de uma menina.O livro tem edição em Portugal pela Porto Editora, com ilustrações de Esgar Acelerado, e, no Brasil, pela Cosac Naify, com trabalho gráfico do artista brasileiro Nino Cais."O paraíso são os outros" (oposto de uma célebre frase do filósofo Jean-Paul Sartre, que disse "O inferno são os outros") é narrado por uma menina que se intriga com a forma como os adultos exteriorizam o amor."Reparo desde pequena que os adultos vivem muito em casais. (...) O amor constrói. Gostarmos de alguém, mesmo quando estamos parados durante o tempo de dormir, é como fazer prédios ou cozinhas para mesas de mil lugares. Mas amar é um trabalho bom. A minha mãe diz", escreve Valter Hugo Mãe, no começo deste conto."O paraíso são os outros" inaugura uma coleção de livros de Valter Hugo Mãe para jovens e crianças, ilustrados por diferentes artistas, mas este ano não sairá mais nenhum volume.Valter Hugo Mãe vai dissertando sobre as vicissitudes do amor, sobre a solidão, a homossexualidade e a lealdade, sempre na perspetiva da menina: "Os casais formam-se para serem o paraíso. Ou assim devia ser. Há casais que vivem no inferno, mas isso está errado. Pertencer a um casal tem de ser uma coisa boa. Eu, quando for adulta e encontrar quem vou amar, quero ser feliz".Na edição portuguesa, o artista plástico Esgar Acelerado (Póvoa de Varzim, 1968) retrata situações quotidianas de casais, em que animais assumem formas antropomórficas: sapos, veados, cavalos, jacarés.Na edição brasileira, "O paraíso são os outros" surge ilustrado com manipulações artísticas de fotografias antigas de casamentos.De acordo com a editora Cosac Naify, "a inspiração para este livro surgiu de uma visita [do autor português] ao atelier do artista Nino Cais, que trabalhava em fotos antigas de casamentos colando pedras de bijuteria infantil sobre os rostos dos casais retratados. Seis dessas imagens dialogam com o texto no livro".
Categorias: Bibliotecas Escolares

Cante alentejano é património da humanidade

Dom, 30/11/2014 - 13:10
O cante alentejano, um cante coletivo, sem recurso a instrumentos e que incorpora música e poesia, foi classificado como Património Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO.

Há alguns anos, escrevi estas palavras, que foram publicadas num disco dos Ganhões, de Castro Verde.Aqui ficam de novo:"Quem nasceu no Alentejo tem o Alentejo dentro de si para sempre. Por isso, o Alentejo é infinito. As planícies parecem não ter fim porque não têm fim de facto. Dentro da gente, existem campos com sobreiros e azinheiras, existem rostos enxovalhados pelo sol, pele que tem as rugas da terra. Dentro da gente, existem searas.O cante é a voz dessa terra infinita. Os homens descem pelas ruas quando voltam do campo ao fim da tarde. Nos olhares, trazem o pó queimado pelo sol. Nessa hora, pouco antes do sol-pôr, nasce uma aragem nos rostos dos homens. Essa aragem fresca passa pelas pedras das ruas, pela cal das casas onde houve vida e morte, pelos sorrisos, pelas crianças que brincam na rua. O cante é essa aragem."
José Luís Peixoto
Categorias: Bibliotecas Escolares

DR. DENTOLAS E A LENDA DO REINO DOS DENTES

Qua, 26/11/2014 - 11:08



Ainda no que diz respeito às atividades integradas na "Semana Sobe",  no dia 28 de novembro, os alunos da Escola da Estação terão oportunidade de assistir ao filme "Dr. Dentolas e a lenda  do reino dos dentes" e à apresentação de teatro de fantoches com a peça "Dentes à peça!".
Categorias: Bibliotecas Escolares

HISTÓRIAS ENTRE DENTES

Qua, 26/11/2014 - 10:05


É já amanhã, dia 27 de novembro, que os alunos do 1.º ciclo da Escola da Estação terão oportunidade de participar em sessões de leitura de histórias que abordam o tema da saúde oral. No sentido de sensibilizar os alunos para esta temática, a professora bibliotecária, Susana Gomes, lerá as histórias "E se a minha escova cantasse?" e "Dentada a dentada...sorriso de bruxa ou de fada?"
Categorias: Bibliotecas Escolares

SEMANA SOBE - 2014/15

Qua, 26/11/2014 - 09:48


Desde o  dia 24 de novembro,  poderás visitar, na Biblioteca da Estação, a exposição "E se a minha escova cantasse?". A exposição abriu com uma sessão de sensibilização, a cargo da Dra. Ana Figueiredo, do Centro de Saúde de Tavira. A professora bibliotecária, Susana Gomes,  ainda contou aos alunos do 2.º A a história "Com o sorriso aprendo a lavar os dentes". 

Categorias: Bibliotecas Escolares

<div class="separator" style="clear:

Ter, 25/11/2014 - 23:51

 Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres celebra-se todos os anos a 25 de novembro.Esta data visa alertar a sociedade para os vários casos de violência contra as mulheres, nomeadamente casos de abuso ou assédio sexual, maus tratos físicos e psicológicos.Em média, uma em cada três mulheres é vítima de violência doméstica.
Violência contra as mulheres em Portugal
  • 85% das vítimas de violência doméstica em Portugal são mulheres.
Origem da dataEm 1999, as Nações Unidas (ONU) designaram oficialmente o dia 25 de novembro como Dia Internacional pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres. Desde 1999 que se tem celebrado este dia pelo mundo.A data está relacionada com a homenagem a Tereza, Mirabal-Patrícia e Minerva, presas, torturadas e assassinadas em 1960, a mando do ditador da República Dominicana Rafael Trujillo.

Categorias: Bibliotecas Escolares

<div class="separator" style="clear:

Qui, 20/11/2014 - 14:56


Uma névoa de Outono o ar raro vela, (5-11-1932)
Uma névoa de Outono o ar raro vela,Cores de meia-cor pairam no céu.O que indistintamente se revela,Árvores, casas, montes, nada é meu.
Sim, vejo-o, e pela vista sou seu dono.Sim, sinto-o eu pelo coração, o como.Mas entre mim e ver há um grande sono.De sentir é só a janela a que eu assomo.
Amanhã, se estiver um dia igual,Mas se for outro, porque é amanhã,Terei outra verdade, universal,E será como esta [...]
Fernando Pessoa
Categorias: Bibliotecas Escolares

<div class="separator" style="clear:

Qua, 19/11/2014 - 19:02

Categorias: Bibliotecas Escolares