Skip to main content

O CANTO DAS PALAVRAS - BECRE D. Manuel I

Conteúdo sindicado
CANTO DESTINADO ...
Actualizado: há 23 horas 43 minutos atrás

<div class="separator" style="clear:

Dom, 07/02/2016 - 18:00

DEPUS A MÁSCARA
Depus a máscara e vi-me ao espelho.  Era a criança de há quantos anos. Não tinha mudado nada... É essa a vantagem de saber tirar a máscara. É-se sempre a criança, O passado que foi A criança. Depus a máscara, e tornei a pô-la. Assim é melhor, Assim sem a máscara. E volto à personalidade como a um términus de linha.
Álvaro de Campos, in "Poemas"



Categorias: Bibliotecas Escolares

<div class="MsoNormal"><b><span style=

Sáb, 06/02/2016 - 19:33
O QUE EU QUERO SER…


Os alunos do 2º ano foram à biblioteca  da escola da estação para escutarem os poemas da obra de José Jorge Letria, O que eu quero serDepois de uma leitura em jeito de jogo de adivinhas, os alunos deram asas aos seus sonhos e a imaginação coletiva compôs os seguintes versos:
Eu quero ser cabeleireira Porque é uma profissão com arte.Gosto de penteados à maneira,Aqui ou em qualquer parte.

Eu quero ser mergulhador em alto mar,Quero ver tubarões, peixes e peixinhos aos milhõesE com eles nadar, nadar, nadarSem nunca parar.
Eu quero ser futebolistaPorque gosto de jogar.De bola nos pés sou um artistaE nunca me vou lesionar.         Alunos do 2º C – Professora Fátima Valente


Eu quero ser artista Porque gosto muito de pintar,O sol, as nuvens, as borboletas e flores a brilhar.Vou ser uma pintora famosa e “sair numa revista”.
Eu quero ser professoraPorque gosto de ensinar.Vou fazer ditados e contas sem calculadora,E se os alunos forem bem comportados,                                                                   nunca me vou zangar.
Eu quero ser escritoraPorque gosto de escrever histórias de encantar.De muitos livros serei a autora,E levarei as crianças numa viagem a sonhar.
Alunos do 2º A – Professora Sónia Viegas

Eu quero ser domador de animaisPorque gosto de bichos da floresta,Da savana, do pântano e muitos maisE todos juntos fazemos uma festa.
Eu quero ser taxistaPorque gosto muito de guiar.Sigo sempre pela pista E levo os clientes a passear.
Eu quero ser cantoraPorque gosto muito de cantar.Das minhas músicas serei compositoraE no palco irei brilhar.
            Alunos do 2º B – Professora Filomena Gil
Categorias: Bibliotecas Escolares

<div class="MsoNormal" style="text

Sáb, 06/02/2016 - 19:28
A coordenadora da biblioteca realizou uma atividade acerca da obra " O Príncipe Feliz ",de Oscar Wilde, com as turmas do quarto ano.
Categorias: Bibliotecas Escolares

<div class="separator" style="clear:

Qui, 04/02/2016 - 16:03






UMA VISITA AO REI D.FILIPE II
   Certo dia, eu pensei em visitar o magnânimo Filipe II, Rei de Espanha, Portugal e de um vasto império, e comecei a interrogar-me como é que eu iria viajar para o passado!Decidi ir a um museu procurar uma máquina do tempo para viajar até 1580. E encontrei-a!Sem perceber como, estava no palácio do Escorial.Entrei no palácio, deliciei-me com a grandeza e luxo ali instalados e vi aquela figura curiosa, em folhos atafulhado, brilhando como as leds de Natal:   D.Filipe II, Rei de Espanha e Portugal.Quando entrei na sala fiquei ainda mais espantado pois ele comia num prato de prata lavrada.- Boa noite! - exclamei.- Entre - disse Filipe II.- Que me trazes, estranho das terras distantes?Eu pensei em como poderia impressionar aquele Rei poderoso que já possuía tudo e lembrei-me que trazia um fecho éclair.-Que objeto é esse ?–Interrogou Filipe II.- O fecho éclair é um fecho que abre e fecha casacos que se usa na minha época . –exclamei, a medo.-Já estou a ver.Tu já vives naqueles tempos mais avançados, não é ?-perguntou o Rei.- Sim, Minha Majestade, eu já vivo nesses tempos.- Queres alguma coisa em troca dessa coisa aí? Pode valer muito dinheiro. -disse o rei.- Não, Sua Majestade. Deixa apresentar-me.Eu sou o Lourenço.-Eu sou o Filipe II e esta é a minha mulher, Isabel I de Inglaterra.-Tive uma ideia. Tu irás com a minha tripulação. Quem manda na parte marítima é Pedro Álvares de Cabral. Podes ir com ele até ao Brasil!-Não me importava nada – respondi.Dormi no palácio do rei Filipe II onde as camas eram de prata maciça.De manhã cedinho parti para o Brasil com a tripulação de Filipe II e mais o seu filho, o príncipe Filipe, e quando voltei para casa contei as aventuras perigosas aos meus amigos. Não sei o que o Rei fez com o fecho Éclair!!

Lourenço FerreiraDM4C
2016/01/25Inspirado em:  « Poema do Fecho Éclair», de António Gedeão. 





O FECHO ÉCLAIR
     Eu estava a pedir um desejo, na floresta, e fechei os olhos. Mas, quando voltei a abri-los, estava à frente do castelo do Rei D. Filipe II.   Fui a andar na sua direção e encontrei seis guardas à porta.  Pedi-lhes para ir visitar o Rei D. Filipe II, mas os guardas disseram:   -Não podes entrar. Só quem tem o fecho éclair.    E eu fiquei muito chateada. Tive de voltar ao meu mundo real para ir buscar um fecho. Para eles, um fecho era valioso porque não havia aquilo na época.    Quando voltei, encontrei o  meu amigo Rodrigo com um fecho éclair e eu tive a ideia de irmos juntos. Mais à frente estava o Bernardo e o Daniel e  resolvemos ir dizer a eles para irem connosco. Os guardas deixaram-nos entrar e nós ficámos a falar com o Rei. Mostrámos-lhe o fecho éclair, mas o Rei tinha medo porque nesse tempo não havia.    -Eu gostei do fecho éclair. Por isso ofereço - vos uma visita ao castelo e uma dormida.     Eu agradeci ao Rei e os meus amigos também. Nós aproveitámos para perguntar ao Rei umas coisinhas porque a nossa professora mandou fazer uma pesquisa.    Quando voltámos, a nossa professora ficou contente por temos feito o trabalho de casa.      E aquele dia foi especial para mim e para os meus amigos.                                                               D. Manuel IBruna Valente DomingosBernardo José Marques4C

Inspirado em:  « Poema do Fecho Éclair», de António Gedeão.


Categorias: Bibliotecas Escolares

<div class="separator" style="clear:

Qui, 28/01/2016 - 11:46


A Vila das Cores

No passado dia 22, a biblioteca da Escola da Estação recebeu a visita do escritor Bruno Magina. O Autor apresentou a sua obra A Vila das Cores, às turmas do 2º B, 2º C e 3ºA, que gostaram muito de conhecer o António, o Manuel e os seus filhos adotivos, o Bernardo e a Gabriela. Com a Família Violeta compreendemos melhor que devemos respeitar as diferenças e que a diversidade nos enriquece o coração.De seguida, houve uma sessão de perguntas e respostas acerca da história e das histórias do autor e dos vários alunos. A manhã terminou com uma sessão de autógrafos tão coloridos como a Vila das Cores. Agradecemos ao Bruno Magina pela sua presença e pela sessão animada que dinamizou, bem como à Biblioteca Municipal Álvaro de Campos que proporcionou este encontro.

Categorias: Bibliotecas Escolares

<div class="separator" style="clear:

Sex, 22/01/2016 - 10:56

A prova do Concurso Nacional de Leitura realizou-se no dia 14 de janeiro, às 14.30, no auditório da nossa escola. Os alunos apurados foram: João Teixeira,nº13, do 9ºC; Inês Livramento, nº15, e Beatriz Silva, nº5, ambas do 9ºB.Parabéns aos alunos e que a leitura seja, para eles, um prazer que se prolongue ao longo dos tempos.



Categorias: Bibliotecas Escolares

<div class="separator" style="clear:

Ter, 19/01/2016 - 18:23

BIBLIOTECA VERDE

– Papai, me compra a Biblioteca Internacional de Obras Célebres.São só 24 volumes encadernados em percalina verde.– Meu filho, é livro de mais para uma criança!...– Compra assim mesmo, pai, eu cresço logo.– Quando crescer, eu compro. Agora não.– Papai, me compra agora. É em percalina verde, só 24 volumes. Compra, compra, compra!– Fica quieto, menino, eu vou comprar.– Rio de Janeiro? Aqui é o Coronel.Me mande urgente sua Bibliotecabem acondicionada, não quero defeito.Se vier com um arranhão, recuso. Já sabe:Quero a devolução de meu dinheiro.– Está bem, Coronel, ordens são ordens.  Segue a Biblioteca pelo trem-de-ferro,fino caixote de alumínio e pinho.Termina o ramal, o burro de cargavai levando tamanho universo.Chega cheirando a papel novo, matade pinheiros toda verde.Sou o mais rico menino destas redondezas.(Orgulho, não; inveja de mim mesmo)Ninguém mais aqui possui a coleção das Obras Célebres.Tenho de ler tudo. Antes de ler,que bom passar a mão no som da percalina,esse cristal de fluida transparência: verde, verde...Amanhã começo a ler. Agora não.Agora quero ver figuras. Todas.Templo de Tebas, Osíris, Medusa, Apolo nu, Vénus nua...
Nossa Senhora, tem disso nos livros?!...Depressa, as letras. Careço ler tudo.A mãe se queixa: Não dorme este menino.O irmão reclama: Apaga a luz, cretino! Olha que eu tomo e rasgo essa Bibliotecaantes que pegue fogo na casa.Vai dormir, menino, antes que eu perca a paciência e te dê uma sova.Dorme, filhinho meu, tão doido, tão fraquinho.Mas leio, leio... Em filosofias tropeço e caio,cavalgo de novo meu verde livro,em cavalarias me perco, medievo;em contos, poemas me vejo viver.Como te devoro, verde pastagem!...Ou antes carruagem de fugir de mime me trazer de volta à casaa qualquer hora num fechar de páginas?Tudo que sei é ela que me ensina.O que saberei, o que não saberei nunca,está na Biblioteca em verde murmúriode flauta-percalina eternamente.
                               (Carlos Drummond de Andrade)
Categorias: Bibliotecas Escolares

15 de janeiro de 1929, data do nascimento de Martin Luther King

Sex, 15/01/2016 - 11:10


Foi uma das maiores personalidades da história da humanidade. Lutou contra a desigualdade racial através de discursos e protestos.
Martin Luther King era um pastor norte-americano e em 1964 recebeu o prémio Nobel. Foi um dos maiores líderes contra a opressão racial.O seu discurso mais famoso chama-se “Eu tenho um sonho” (“I have a dream”) pronunciado em 1963 no Lincoln Memorial em Washington.Os seus ideais de justiça, não-violência e amor ao próximo eram inspirados em outro grande mestre: Gandhi.Em 1955, coordenou um boicote aos autocarros da cidade de Montgomery. Os líderes negros da cidade decidiram boicotar o transporte após a prisão de uma mulher negra (Rosa Parks) que se recusou a ceder o lugar para uma passageira branca. Por causa do protesto, King foi preso e recebeu ameaças de morte.Após tantos protestos, a Suprema Corte decidiu tornar ilegal o transporte público separatista. Esta decisão deu vitória ao protesto e King foi considerado um líder respeitado. Por causa disto, tornou-se presidente da Conferência de Lideranças Cristãs do Sul (organizado pelos padres negros sulistas).
Outros protestos de King:* Campanha a favor dos direitos civis no Alabama.* Realização de um censo para aprovar o voto dos negros.* Luta para melhorar a educação e a moradia dos negros nos estados do sul.* Luta contra a discriminação racial.King não foi somente um defensor dos direitos dos negros, ele também defendia as mulheres.Porém, em 1965, King começou a criticar a participação dos EUA na Guerra do Vietnam e a sua influência perante os negros começava a incomodar várias pessoas. Foi então que no dia 4 de abril de 1968 ele foi assassinado.Mas até hoje ele é lembrado, discutido e estudado nas escolas. Nos EUA existe um feriado para relembrar os seus feitos e  suas lutas.

FRASES DE MARTIN LUTHER KING
“O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons”.
“Pouca coisa é necessária para transformar inteiramente uma vida: amor no coração e sorriso nos lábios”.
“Eu também sou vítima de sonhos adiados, de esperanças dilaceradas, mas, apesar disso, eu ainda tenho um sonho, porque a gente não pode desistir da vida”.
“Quem aceita o mal sem protestar, coopera realmente com ele".
Categorias: Bibliotecas Escolares

<div class="separator" style="clear:

Sex, 15/01/2016 - 10:45


Entre o Sono e o  SonhoEntre o sono e sonho, Entre mim e o que em mim É o quem eu me suponho Corre um rio sem fim.
Passou por outras margens, Diversas mais além, Naquelas várias viagens Que todo o rio tem.
Chegou onde hoje habito A casa que hoje sou. Passa, se eu me medito; Se desperto, passou.
E quem me sinto e morre No que me liga a mim Dorme onde o rio corre — Esse rio sem fim.
Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"
Categorias: Bibliotecas Escolares

in