bmac_cm

A reabilitação da antiga cadeia civil de Tavira - projeto da autoria do Arquiteto Carrilho da Graça - deu origem à atual Biblioteca Municipal Álvaro de Campos, inaugurada a 24 de junho de 2005.

O Arquiteto João Luís Carrilho da Graça é o projetista responsável pela adaptação da antiga cadeia civil a espaço de cultura, educação e lazer.

A solução arquitetónica encontrada para este equipamento passa por manter "a presença poética da memória do edifício em harmonia" com os diferentes espaços que o compõem. Ainda segundo Carrilho da Graça " é indispensável uma atenção global aos espaços e aos edifícios, ao seu espírito e à sua matéria. Conservar e restaurar até ao limite, com o respeito que se deve àquilo de que se gosta muito (...)."

"A distribuição dos diferentes espaços da biblioteca pretende seguir a divisão por secções apontada no programa, organizando-os a partir do átrio de acesso que reúne e torna imediatamente visíveis e acessíveis os principais espaços, estando mais afastados os de trabalho e leitura que devem ser individualizáveis e silenciosos.

O plateau de acesso à biblioteca, ao nível sensivelmente do pavimento do edifício existente, relaciona-se com as ruas envolventes através de escadas e de uma rampa suave que permite o acesso direto do exterior para deficientes. No alçado principal o acesso faz-se através de um pórtico quadrado, no alinhamento do alçado e da igreja de S. Sebastião, afirmativo na aparente neutralidade de fachada e da relação convivial com a envolvente. Tem, metaforicamente, a intenção de capa de um livro: suficientemente apelativo para atrair atenções num relance, e suficientemente enigmático para nos manter presos ao desenlace, ao conteúdo.

Do plateau exterior acede-se ao átrio, a partir do qual se organizam as ligações às diferentes secções.

Prolonga-se para o foyer da sala polivalente, com ligação direta ao exterior. A Nascente propõe a área infantil, com os espaços de consulta local, individualizada ou de grupo, com iluminação e ventilação natural e ligação a um pátio exterior, ele próprio área privilegiada de leitura, em condições de bom tempo. Inclui a sala do conto, mais isolada, consequência das suas particulares condições acústicas e de funcionamento e que também tem acesso ao pátio."

In: Arquitectura Ibérica (12). Jan /Fev. 2006

Áreas

Átrio/ balcão de atendimento
Zona de receção, onde se concentra todo o movimento de entrada/saída do edifício. Tem um balcão de atendimento onde funciona o serviço de informação, a inscrição de novos leitores, o serviço de empréstimo e o serviço de reprografia.

bmac

Espaço leitura informal
Zona para leitura/ consulta de imprensa, equipada com sofás e mesas de apoio. Nesta zona situa-se a cafetaria.

esp_adultos

Espaço adultos
Espaço com livros, publicações periódicas e computadores para consulta de CD-ROM'S e acesso à internet e ainda equipamento de som e imagem para utilização dos documentos audiovisuais.

esp_adultos1

Espaço infanto-Juvenil
Espaço com bibliografia e equipamento apropriado às idades. "Cantinho" para a realização de atividades de animação da leitura. Esta sala tem, igualmente, equipamento de som e vídeo.

esp_junior

Sala Guilherme Camacho
Espaço destinado a várias atividades culturais. É uma sala com capacidade para 80 pessoas, possui um sistema de projeção de vídeo, som, microfones. Aqui são realizados colóquios, debates, apresentação e lançamento de livros com a presença dos autores, ações de formação, espetáculos de teatro e música, etc.

sala_gui

Jardim
Espaço de lazer e leitura.

jardim